De cidade da qualidade de vida à gestão diferente, Aracaju faz o futuro no hoje

Para que algo seja considerado diferente, ele tem que chamar a atenção, sair da zona de conforto, e se for para o lado positivo, melhor ainda. Aracaju, por duas vezes, experimentou ser diferente e ganhou destaque nacional. A primeira vez, quando foi considerada a capital da qualidade de vida, em 2008, e agora, dez anos depois, quando passou a fazer parte de um grupo seleto de cidades avaliadas por terem uma gestão diferente ao estar dispostas a tornar o Estado mais eficiente. Por coincidência ou não, ambas as análises ocorreram durante a administração do prefeito Edvaldo Nogueira.

A mais recente edição da revista Exame, publicação da Editora Abril, de circulação nacional, trouxe na reportagem “Políticos na escola” alguns pontos que colocou o prefeito de Aracaju como um dos que mais tem atuado para modificar o cenário da cidade que administra. A matéria faz menção à participação de prefeitos brasileiros no curso de gestão pública na Universidade Colúmbia, em Nova York, que ocorreu em julho. Edvaldo Nogueira e outros nove gestores participaram do curso o que, de acordo com a publicação, foi uma das demonstrações de que o grupo está disposto a estudar e se preparar para ajudar a tornar o Estado mais eficiente. E é esse o primeiro ponto que faz de Aracaju diferente: ter um gestor que se prepara e se atualiza constantemente para transpor as barreiras de um país que teima em reafirmar a crise.

Planejamento Estratégico

Sem planejamento, dificilmente algum plano tem possibilidade de dar certo. Aracaju não tem apenas um planejamento, mas um Planejamento Estratégico. Composto por 65 itens com projetos para os diversos aspectos que norteiam o desenvolvimento de uma cidade, projetos esses que grande parte já está sendo desenvolvida, o Planejamento Estratégico foi construído com base na cidade de antes do início da atual gestão com as projeções para a Aracaju que queremos para o futuro.

Cada área de gestão da cidade foi detalhadamente estudada e analisada por técnicos e especialistas em administração pública até chegar ao coeficiente para a formalização e implementação do planejamento que tem como objetivo fazer com que a cidade volte a ser considerada a capital da qualidade de vida, mas não com os ares daquele 2008.

Despesas reduzidas

Durante os 16 meses da atual gestão, Aracaju saiu da mesmice acentuada. Para se deslocar do infortúnio de uma gestão anterior que fez a cidade parar no tempo, a medida inicial foi cortar despesas. Já nos primeiros sete meses de gestão, Aracaju foi considerada a 1ª capital do Nordeste e a 3ª do país a reduzir despesas e, para isso, os esforços foram muitos. Logo no início, houve uma queda de 20,35% no custeio, que gerou uma economia de R$58 milhões já nos seis meses iniciais. E em alguns itens a queda foi muito mais acentuada como, por exemplo, a queda das diárias (redução de 73,5%), passagens e locomoção (redução de 62,4%), material de consumo/funcionamento das secretarias (redução de 55,7%), material promocional/folders/panfletos/ (redução de 62%) e o índice que mais chama atenção foi a redução de 94% com consultorias”, além do corte de cerca de 50% com cargos de comissão, o que efetivou uma redução de 30% no custo total da folha deste tipo de funcionário e representou uma economia de R$ 20 milhões.

Enxugar a máquina foi uma das medidas mais importantes adotadas no começo da gestão, o momento denominado pelo próprio prefeito como fase da reconstrução. E, para reconstruir é necessário deixar velhos hábitos e mudar as práticas. Ao contrário do que alguns podem pensar, não é como administrar uma casa, já que gerir uma cidade depende de verba pública, recurso este que vem da população.

Assim, respeitando o principal investidor da cidade, o próprio cidadão, que a primeira fase da gestão foi concluída com a redução de custos pensando na etapa seguinte, o avanço.

Cidade Inteligente

Avançar, na ideia de gestão pública, é fazer no presente olhando para o futuro. Enxugar as despesas e equilibrar as contas públicas foram essenciais para seguir para a segunda fase do Planejamento Estratégico da gestão. Preparar a cidade para as futuras gerações e contar com os aparatos que a modernidade nos permite usufruir é pré-requisito para uma cidade inteligente, qualidade que faz parte da etapa de avanço de Aracaju.

Neste sentido, em fevereiro deste ano, foi implantada a matrícula online nas escolas municipais que democratizou o acesso e modernizou o processo. O projeto de Modernização Tecnológica e Educacional foi desenvolvido para se iniciar com o novo processo de matrícula. Com o convênio firmado entre a Prefeitura e o Tribunal de Justiça do Estado para compartilhamento de fibra ótica, o projeto pode ser viabilizado.

A tecnologia também começou a ser utilizada no trânsito de Aracaju. Como toda cidade em expansão, a capital tem vivido o aumento da frota de veículos e, portanto, se fez necessário adotar medidas que melhorem o fluxo nas principais vias. Assim, foi implementado o semáforo inteligente, uma das ferramentas para a mobilidade urbana da cidade.

A semaforização inteligente se dará pela substituição dos atuais 148 sinais de trânsito de Aracaju, além da instalação de mais dois, totalizando 150, por equipamentos de alta tecnologia e o primeiro ponto escolhido foi o cruzamento entre a avenida Heráclito Rollemberg e a avenida Josino José de Almeida, conhecida como Canal 4. No local, já foi colocado o primeiro controlador que distribui os tempos de acordo com a quantidade de veículos parados. Esse fato promoverá também uma segurança maior ao dirigir na madrugada ou tarde da noite, pois o sinal demorará apenas o tempo de reconhecer o veículo e checar o cruzamento para abrir.

A segurança da cidade também tem sido tocada pela tecnologia. Implantada durante o Forró Caju deste ano, a Base Comunitária de Videomonitoramento da Guarda Municipal de Aracaju (GMA), primeiro ônibus de monitoramento do país a ser liberado pela Secretaria Nacional da Segurança Pública, conta com nove telas para monitoramento, sala de reunião, além de um gerador elétrico que poderá ser acionado manualmente para evitar falhas no acionamento automático. A base trabalha com o auxílio de equipamentos que captam todos os detalhes das áreas e acompanha a rotina dos bairros de Aracaju para auxiliar na segurança e na definição de políticas públicas para a capital.

As viaturas da GMA também ganharam suporte. Desde o início de agosto, cada um dos 18 veículos passou a contar com um tablet conectado às câmeras de todos os órgãos municipais, a exemplo das unidades de saúde da capital. O sistema, que se comunica com a Central de Monitoramento da GMA, tem como objetivo principal, além de prevenir, garantir maior agilidade no tempo-resposta no atendimento às ocorrências por toda a cidade.

Na saúde, o prontuário eletrônico começou a ser implantado nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Aracaju. Inicialmente, 18 das 44 unidades que estão passando por revitalizações, reformas e ampliações irão receber a instalação do sistema. O sistema integrará todas redes de atendimento municipal, como a Rede de Atenção Primária (Reap), a Rede de Urgência e Emergência (Reue) e a Rede de Atenção Psicossocial (Reaps) e também com os Centro de Especialidades Médicas (Cemar). Com o prontuário, será possível evitar a duplicidade de cadastros, economizar e sanar a perda de informações do paciente devido ao uso do papel. Além disso, também irá melhorar a produtividade, controlar o estoque da farmácia e dar mais segurança nas informações.

Parcerias

Uma gestão diferente também é aquela que pensa em agregar outras formas de pensar e agir, por isso, as parcerias com a iniciativa privada também veio para ajudar na construção da cidade mais humana, inteligente e criativa. Com a Universidade Tiradentes, por exemplo, o mercado de trabalho, ações de saúde e assistência social foram impulsionadas. Com a parceria com os shoppings Jardins e RioMar e o Grupo Assaí, áreas verdes foram adotadas e passaram a ter a manutenção administrada por essas empresas. Por meio da parceria com a Faculdade de Negócios de Sergipe (Fanese) e com a Estácio de Sá, servidores passaram a contar com descontos em qualificação, o que também melhora o serviço prestado à população.

Participação popular

Por mais que a gestão trabalhe para melhorar a cidade, um dos principais agentes nos avanços é a própria população, por isso, sua voz precisa ser ouvida. Seja por meio das redes sociais, seja nas ruas ou nos encontros pessoalmente, é preciso que os moradores da cidade consigam ter contato e dar a sua contribuição para a cidade, afinal, ela é construída para eles.

A gestão entende essa necessidade e se faz acessível. O próprio prefeito Edvaldo Nogueira, inclusive, interage com os internautas pelas suas redes sociais, responde questionamentos e, a cada 15 dias, realiza a #LiveComEdvaldo, mais uma ferramenta de contato com a população.

Além disso, em meados do mês de agosto, a gestão deu início a mais uma maneira para os aracajuanos participarem da administração municipal: a Arena de debates. Uma vez por mês, na sede da Prefeitura, o prefeito recebe os interessados previamente inscritos para um bate-papo onde o principal objetivo é ouvir as demandas dos munícipes e, sobretudo, compreender o que anseia uma cidade diferente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *