Comidas típicas mantêm tradição e trazem lucro para vendedores no Arraiá do Povo

Mugunzá, bolo de milho, canjica, milho cozido, pamonha e arroz doce são algumas das delícias que podem ser degustadas

No Arraiá do Povo não faltam opções para experimentar a farta gastronomia típica junina e se imaginar em uma tradicional festa de interior do Nordeste. Além de enaltecer a cultura local, a venda de comidas típicas beneficia os vendedores dessas delícias tradicionais e aquece ainda mais os dias de festa.

Mugunzá, bolo de milho, canjica, milho cozido, pamonha, arroz doce, pé-de-moleque, saroio, cocada, bobó, beiju molhado, amendoim, licores dos mais diversos sabores, e diversas outras iguarias. Enfim, tudo o que há de mais gostoso na vasta culinária junina de Sergipe pode ser encontrado nas barracas de comidas típicas, que são um dos locais mais visitados pelos turistas e nativos que fazem questão de se deliciar antes de cair na festa.

Pela primeira vez em Aracaju, o turista paulista, Adenilson Honório, ficou surpreso com os sabores que provou. “A comida aqui é muito mais gostosa do que a gente imagina. De tudo que experimentei, o que mais gostei foi da macaxeira, que aqui é preparada de maneira especial. Estou maravilhado com a variedade de comidas”, revelou.

Em uma das barracas do evento e com um belo sorriso no rosto, a assistente social Jussara Santos aproveita o período para fazer uma renda extra. “Esta é uma oportunidade boa para ganhar dinheiro e também aproveitar a festa, mostrando aos turistas o que a gente sabe fazer de melhor”, diz Jussara, revelando ainda ser fiel a qualidade de seus produtos.

Pelo décimo ano participando do evento, a vendedora Neuma Melo comemora o resultado das vendas até o momento. “Todos os anos participo e acho lindo ver a importância que os turistas dão à culinária do nosso Nordeste. É muito bom poder propiciar alegria às pessoas através da nossa comida que é preparada com muito amor. A canjica, o arroz doce e o mugunzá são os mais vendidos aqui”, conta.

São muitas as opções que enchem os olhos e a boca de quem vê e experimenta. Segundo a funcionária pública, Ana Lúcia, não tem como fugir dos sabores desta época do ano. “São tantas delícias que fica difícil resistir e fácil explicar o porquê nós nordestinos amamos tanto essa época do ano”, disse.

Independente do prato favorito de cada um, a ordem principal do Arraiá do Povo é se divertir e aproveitar tudo que a culinária tem a oferecer. Este ano, a festa segue até o dia 30 de junho, reunindo mais de 50 atrações entre artistas e bandas sergipanas, nordestinas e de destaque nacional, quadrilhas e grupos folclóricos, selecionadas via edital.

5ª noite de forró

Além das delícias juninas, o público pôde conferir a quinta noite de atrações na Orla de Atalaia. Forró, xote, baião e quadrilha deram o tom do arrasta-pé. A Quadrilha Junina Meu Sertão iniciou a programação da noite de segunda-feira, cativando todo o público presente com suas belas coreografias. A Quadrilha Junina Balança Mais Não Cai também fez bonito e levantou a galera. O evento trouxe ainda grandes artistas sergipanos como Fernando Crateús, Luiz Fontineli e Virginia Fontes.

O evento foi encerrado pelo compositor e instrumentista pernambucano Cezinha, herdeiro artístico do inesquecível Dominguinhos. “O forró tradicional é a arte do abraço. Hoje fizemos um show voltado à cultura popular, resgatando nossos maiores ídolos, como Dominguinhos, Luiz Gonzaga, Marinês, Sivuca e tantos outros”, ressaltou o artista.

Sobre o evento

O Arraiá do Povo faz parte do Encontro Nordestino de Cultura, evento promovido pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), com patrocínio do Banese Corretora de Seguros, Caixa Econômica Federal e apoio da Unit, Maratá, Sebrae, Fundação Aperipê, Secretaria de Estado do Turismo e Assembleia Legislativa. Participaram do evento a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), a Polícia Militar, Vigilância Sanitária Estadual e Municipal, Defesa Civil, Secretaria de Estado da Saúde, Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Secretaria de Inclusão Social, Secretaria de Comunicação, Emsetur, Pacific Eventos e BHS Eventos.

Comente: