Caminhão do Mosquito está em Aracaju até este domingo

‘O que você fez para combater o mosquito hoje?’. É com esse questionamento que o Caminhão do Mosquito atrai as pessoas para participar do Circuito Interativo de Combate ao Mosquito Aedes aegypti, que ocorre dentro do veículo. O projeto, que é uma iniciativa Ministério da Saúde, está na praça Hilton Lopes, entre os mercados centrais de Aracaju, até o próximo domingo, das 9h às 15h. Daqui, o Caminhão seguirá para Recife (PE).

No total, o Caminhão do Mosquito irá percorrer cerca de 4.400 km, desde a saída de Brasília até a sua volta, no dia 10 de fevereiro. O objetivo é conscientizar a população sobre o combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. De acordo com o coordenador do Caminhão do Mosquito, Paulo Victor Jabour, o projeto traz algumas atividades lúdicas, mas com conteúdo. “A nossa ideia aqui é, de uma maneira mais pessoal, oferecer o contato direto da pessoa com o conteúdo. A gente vai passar isso, mas de uma maneira mais tranquila, sem ser uma coisa tão massiva e formal”, disse.

Segundo ele, as atividades chamam a atenção principalmente das crianças, que se divertem com os jogos interativos e informativos. “A gente vê que a criança se diverte. Como tem muita coisa lúdica, a criança acaba vindo pela brincadeira, mas o conteúdo acaba sendo passado de uma maneira mas fácil para ela, que acaba indo pra casa, falando com pais, avós, e a ideia também é essa. Conscientizar as pessoas e as crianças sendo impactadas com isso”, destacou Jabour.

Nesta sexta-feira, 26, primeiro dia do Caminhão do Mosquito em Aracaju, a secretária municipal da Saúde, Waneska Barboza, foi conhecer a estrutura. “É uma proposta bem legal, é bem interessante no sentido de informar a população, e isso vem fortalecer justamente as ações de prevenção que a gente vem tentando cada vez mais ampliar, e diminuir os nossos índices de infestação pelo mosquito Aedes”, opinou.

Circuito Interativo

A ideia do Circuito Interativo de Combate ao Mosquito nasceu há mais de dois anos. A primeira etapa do Circuito é a Casa Cenográfica, onde mensagens educativas e baseadas em histórias e relatos verdadeiros aparecem sobre uma tela de LED. Em seguida, para saber sobre os sintomas e o tratamento das doenças transmitidas pelo Aedes, são disponibilizadas informações em três telas touch screen. Já o terceiro ambiente é uma tela com foto touch, onde a pessoa registra sua participação no Circuito e pode enviar a imagem por e-mail.

Mais adiante, um tapete interativo possibilita que o morador da região se depare com focos de mosquito na área da casa fictícia projetada no painel. É possível ver os locais de potencial criadouro do inseto, além de espaços e objetos já usados pelo mosquito em sua reprodução, e saber como eliminar esses perigos. Depois disso, as pessoas têm a experiência de, por meio de uma projeção interativa, eliminar com as mãos ou uma raquete alguns mosquitos voando bem à sua frente.

De acordo com os responsáveis pela concepção da ideia, aplicada para contar a história do combate ao mosquito em formato de vídeo case, após toda a ação, explorar a experiência, a tecnologia e a interatividade, facilita a informação e a conscientização.

Sergipanos aprovaram

A dona de cada Edileide de Jesus estava passando pela praça Hilton Lopes com os filhos Luana, de três anos, e João Paulo, de seis, e fez questão de conhecer o Caminhão do Mosquito.
Em seu interior, além de informações sobre combate ao Aedes aegypti, muita diversão para a criançada, com direito a registro fotográfico. “Eu entrei para ter mais orientação sobre como combater o mosquito. A gente sempre tem muito cuidado, mas sempre é bom saber mais. Toda orientação é bem-vinda”, disse. João Paulo também aprovou a interatividade do Projeto. Ele disse que aprendeu várias coisas, mas conta a parte que mais gostou. “A de matar o mosquito. Eu gostei mais porque foi divertido”, afirmou.

 

Comente: