Aedes aegypti: cuidados no verão precisam ser redobrados

Verão combina com sol e calor e, consequentemente, é uma das estações preferidas da população. Porém, neste período, os cuidados para evitar a proliferação do Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Zika e da Chikungunya, precisam ser redobrados. Segundo Taíse Cavalcante, diretora de Vigilância em Saúde do Município de Aracaju, por causa da condição climática, o ovo do mosquito se desenvolve muito mais rápido, transformando-se em apenas cinco dias em um mosquito adulto. Ela ressalta que a colaboração da população é ainda mais fundamental neste momento.

 

“A condição climática de muito sol faz com que o Aedes em apenas cinco dias se transforme em mosquito adulto, sendo que em outras estações esse processo pode demorar até 15 dias. Por isso, devido ao verão, precisamos redobrar os cuidados para evitar a proliferação do mosquito. Temos que trabalhar rapidamente para eliminar os focos. Os agentes de Endemias estão nas ruas e indo às casas, mas precisamos também da colaboração da população. Todos precisam fazer a limpeza das suas residências porque se o mosquito virar adulto muitas pessoas ficarão doentes”, explica.

 

Entre os cuidados necessários, como frisa Taíse, está manter a caixa d´água sempre fechada, não acumular água em vasos de plantas e limpar a cada dois dias os depósitos de água. “Alguns bairros ficam desabastecidos às vezes e as pessoas tendem a armazenar água, mas é preciso ter muito cuidado com isso. Tem que manter esses locais tampados e, inclusive, limpar os depósitos a cada dois dias porque os ovos podem ficar grudados internamente por 450 dias. Os governos têm as suas responsabilidades, mas precisamos também da ajuda de todos”, comenta.

 

Coleta do LIRAa
E esta semana, agentes de endemias e supervisores estão indo às casas na capital para fazer a primeira coleta do ano para o Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa). “Com a coleta daremos o diagnóstico e saberemos em quais regiões precisaremos intensificar as ações de combate ao mosquito”, conta Taíse. Além disso, do dia 16 deste mês a 3 de março, soldados do Exército, atendendo a campanha do Governo Federal, estarão em Aracaju e farão visitas às residências junto com os agentes de endemias para fazer a eliminação dos focos.

 

Em 2016, de acordo com informações da diretora de Vigilância em Saúde do Município de Aracaju, foram notificados 1.765 casos de Dengue; 1.162 de Chikungunya e 235 de Zika. Segundo Taíse, houve queda nas notificações de dengue em 2016, comparado a 2015. “Quanto à Chikungunya, em 2016 cresceu em 53% as notificações de casos da doença, mas houve também uma queda a partir do mês de setembro, tanto que em dezembro foram notificados apenas nove casos. E este ano, até o momento, a capital registrou somente duas notificações de Dengue”, conclui.

 

Sintomas
Os principais sintomas da Dengue são febre alta, dor de cabeça, dores no corpo e nas articulações, fraqueza, dor atrás dos olhos, náuseas, vômito e coceira no corpo. Os da Chikungunya são parecidos com o da Dengue, no entanto, as dores nas articulações são mais intensas. Já os da Zika são manchas vermelhas pelo corpo, coceira, febre baixa e dor de cabeça.

Comente: