Bitcoin nas eleições 2018: Quem são os políticos brasileiros que declararam criptomoedas

A declaração de bens apresentada por candidatos nas eleições 2018 ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apontou que dos 23.812 candidatos, sete disseram possuir Bitcoin, de acordo com um levantamento feito pelo Portal do Bitcoin.

A base de dados divulgados pelo TSE mostra que a soma das criptomoedas declaradas ultrapassa R$ 70 mil. É importante notar, contudo, que as informações não são conferidas pela Justiça Eleitoral. Ou seja: é possível que muitos candidatos tenham omitido informações sobre criptoativos.

Nenhum candidato ao executivo declarou possuir alguma moeda digital; há casos somente na disputa para deputado estadual e federal. Dos sete que estão concorrendo, seis afirmaram ter Bitcoin. Um afirmou ter criptomoedas sem especificá-la.

Do total, seis deles são filiados ao Partido Novo. Contudo, o maior patrimônio em criptoativos declarados pertence a um político filiado ao PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira).

Confira abaixo a lista completa:

1. Luiz Hauly Filho (PSDB-PR)

Concorrendo ao cargo de deputado estadual no Paraná, Luiz Hauly Filho declarou possuir R$35 mil em Bitcoin.

Segundo a sua declaração de bens, os criptoativos foram adquiridos pelas exchanges Mercado Bitcoin e Binance.

O total de bens declarados pelo candidato resulta no montante de R$ 153.970,79. O Bitcoin é o seu segundo maior investimento, perdendo apenas para duas aplicações bancárias em CDB, que juntas chegam ao valor de R$88.970,79.

2.Luciana Lopes (NOVO-MG)

Em segundo lugar vem a Luciana Lopes, filiada Partido Novo. A candidata ao cargo de deputada federal em Minas Gerais possui patrimônio declarado que passa de R$1 milhão. A lista dos bens é grande e inclui dois apartamentos, sendo um deles no valor de  162.766,00 e o outro avaliado em R$37 mil.

Entre esses o bens, a candidata pelo Partido Novo também declarou que possui 0,56964047 BTCs, os quais na época em que detalhou os seus bens ao TSE, estavam avaliados em R$ 24 mil.

O bem de maior valor de Lopes, entretanto, é uma aplicação feita em VGBL (Vida Gerador Benefício Livre) pela BrasilPrev do Banco do Brasil, o qual soma o montante de R$455.572,17.

3. Aurélio Barreto (NOVO-SE)

Com R$12.220,37 declarados em Bitcoin, Aurélio Barreto (Partido Novo), candidato a deputado federal em Sergipe, ocupa o terceiro lugar do pódio de quem mais tem criptomoedas entre os bens declarados.

O patrimônio do candidato de Sergipe totaliza R$1.377.743,93. Nisso, os Bitcoins estão longe de ser seu maior investimento se comparado ao apartamento em Aracaju avaliado em R$ 800 mil e a uma sala comercial no bairro dos jardins (também Aracaju) no valor de R$ 300 mil.

Além de investimento feito diretamente em Bitcoin, Barreto ainda possui um depósito de quase mil reais numa conta no banco Online N26, sediado na Alemanha, para negociações com criptomoedas.

4. Guilherme da Cunha (NOVO-MG)

O candidato a Deputado Estadual em Minas Gerais, pelo Partido Novo, Guilherme da CunhaAndrade, declarou R$10 mil em “Bitcoins junto à corretora Mercado Bitcoin Serviços Digitais Ltda”.

Ainda, entre seus bens declarados está uma sala localizada em Belo Horizonte avaliada em R$250 mil, a qual representa a maior parte do patrimônio do político que ultrapassa a monta de R$317 mil.

5. Victor Cezarini (NOVO-MG)

Com um patrimônio avaliado em R$474.500,00, Victor Cezarini, candidato a deputado federal por Minas Gerais, tem investido quase 10% desse montante em criptoativos.

Na declaração de bens do político filiado ao Partido Novo, consta R$ 4.500,00 em Bitcoin. Além das moedas criptografadas, Cezarini ainda declarou ter mais de R$ 200 mil em debentures e ações.

6. Daniel Tinoco (NOVO-MG)

A colocação do sexto lugar daqueles que possuem mais criptoativos declarados é do  político Daniel Tinoco (Partido Novo).

Apesar de não ter declarado Bitcoin em si e tampouco especificar quais criptoativos possui, o candidato a deputado federal em Minas Gerais, afirmou que tem o total de R$ 2.300,33 em criptomoedas compondo seu patrimônio de quase R$ 2 milhões.

Os criptoativos, entretanto, não são os investimentos de maior vulto do candidato mineiro. Quase a totalidade de seu patrimônio é composto por bens imobiliários. Incluindo casas, galpões e terrenos, o politico possui R$1.781.000.

7. Fábio Ostermann (NOVO-RS)

Em sétima posição do ranking está Fábio Ostermann, candidato à Deputado Estadual no Rio Grande do Sul, pelo Partido Novo. Consta em sua declaração de bens 0,034 satoshis que estavam avaliados em R$ 830,13.

Esse total de criptoativos não chega a 1% do patrimônio total do político que, segundo sua declaração ao TSE, está avaliado em R$ 83.770,17.

Alexandre AntunesJornalista e pesquisador de criptomoedas, fintechs e outras inovações no mercado financeiro.

Fonte: Portal Bitcoin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *