Destaques dos principais jornais do Brasil

 

17 de agosto de 2017

O Globo

Manchete: Um em cada três PMs mortos no país é do Rio

Dos 240 assassinatos registrados de janeiro a julho, 92 foram no estado

Incluindo agosto, crimes contra policiais chegam a 97 em território fluminense; SP teve 22

O Rio tem a pior estatística de assassinatos de policiais do país. Levantamento do GLOBO mostra que, de janeiro a julho, o estado teve 92 PMs mortos, mais de um terço (38,3%) dos 240 agentes assassinados no Brasil. Em São Paulo, foram 22. Apesar do apoio das tropas federais, que ontem fizeram grande operação em Niterói, os crimes contra policiais no Rio não param de crescer. Incluindo agosto, o total de PMs mortos chega a 97. Ontem, a Câmara dos Deputados aprovou proposta que torna o porte de fuzil crime hediondo, mas o projeto ainda terá de voltar ao Senado. (Págs. 8 a 11)

Deputados agora propõem ‘semidistritão’

Diante da repercussão negativa, relator da reforma política recua de valor do fundo para financiar eleições e das doações sigilosas

Pouco antes de o plenário da Câmara começar a analisar ontem o texto-base da reforma política, o relator Vicente Cândido (PT-SP) recuou em dois pontos polêmicos. Admitiu que o valor previsto para o fundo eleitoral, de R$ 3,6 bilhões, é muito alto e deve ser reduzido. Também desistiu de doações ocultas para candidatos. Nos dois casos, reconheceu que mudou de posição após repercussão negativa. Sob intensa pressão, a Câmara também começou a negociar modelo híbrido para o distritão como forma de neutralizar a rejeição de parte dos deputados. O chamado “semidistritão” incluiria o voto no candidato, mas também na legenda. No fim da noite, a votação foi adiada para a semana que vem. (Pág. 3)

Pacote fiscal enfrentará resistência

Nove das 11 medidas de ajuste fiscal anunciadas pelo governo, que terão impacto de R$ 18 bilhões no Orçamento de 2018, dependerão de aval do Congresso. Líderes governistas preveem resistência, sobretudo ao adiamento dos reajustes de servidores. (Págs. 17 a 19)

EDITORIAL

‘As limitações do pacote de revisão das metas fiscais’ (Pág. 14)

MÍRIAM LEITÃO

Rombo de mais de R$ 800 bilhões em sete anos. (Pág. 18)

CARLOS A. SARDENBERG

Teto salarial é furado por juiz que deve zelar pela lei. (Pág. 14)

Minha Casa, meus problemas

Vitrine dos governos Lula e Dilma, o Minha Casa Minha Vida apresenta defeitos como rachaduras e infiltrações em 56,4% das unidades, segundo auditoria da CGU. (Pág. 7)

Renovação com volta ao passado

Com líderes envolvidos em diversos escândalos e sob investigação no STF, o PMDB tenta renovar sua imagem mudando de nome: quer voltar a se chamar MDB. (Pág. 6)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Estados ‘escondem’ déficit de R$ 30 bi com previdência

Prática é condenada pelo TCU; nove Estados ultrapassaram os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal em 2016

Boletim anual que será divulgado hoje pelo Tesouro mostra que os governos estaduais informaram um déficit de R$ 55 bilhões com o pagamento de aposentadorias e pensões em 2016. O valor apurado pelo Tesouro, no entanto, é de R$ 84,4 bilhões, uma diferença de quase R$ 30 bilhões. A prática é condenada pelo Tribunal de Contas da União (TCU). A União faz um acompanhamento anual das contas estaduais para a renegociação de dívida. Os Estados admitiram que há diferença nas informações. “Precisamos trabalhar juntos pela convergência”, disse a secretária do Tesouro, Ana Paula Vescovi. “Temos que estar na mesma página do ponto de vista contábil.” Nove Estados ultrapassaram em 2016 os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal para gastos com pessoal. (ECONOMIA / PÁGS. B1 e B3)

Rombo anula superávit fiscal acumulado durante 15 anos

Confirmada a nova meta fiscal do governo, o Brasil somará déficits que anularão todo o esforço fiscal acumulado desde o início da adoção das metas de superávit primário, em 1999. Segundo dados do BC, de 1999 a 2013 o País teve superávit de R$ 801,6 bilhões. Entre 2014 e 2020, a previsão é de déficit de R$ 818,6 bilhões. Uma das consequências será o aumento da dívida pública. (ECONOMIA / PÁG. B4)

CNJ suspende pagamentos de até R$ 500 mil no MT

R$ 500 mil no MT A Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça determinou que providências sejam adotadas para a suspensão de pagamentos de “valores vultosos” por parte do Tribunal de Justiça de MT a 84 magistrados. Entre os que receberam está o juiz Mirko Vincenzo Giannotte, de Sinop. Seu contracheque de julho foi de R$ 503.928,79. (POLÍTICA / PÁG. A8)

Coluna do Estadão

Cármen Lúcia, presidente do STF, baixa hoje resolução determinando que o CNJ acompanhe online os orçamentos dos tribunais de justiça. (PÁG. A4)

Nova meta fiscal rende R$ 1 bi em emenda parlamentar

O governo poderá liberar R$ 1 bilhão a mais em emendas parlamentares se a meta fiscal, fixada em R$ 159 bilhões, passar no Congresso. Com a elevação do rombo nas contas públicas, a equipe econômica deve liberar até R$ 10 bilhões do Orçamento para várias áreas, incluindo as emendas. Cada parlamentar tem, hoje, R$ 10,3 milhões para emendas individuais. (POLÍTICA / PÁG. A4)

Foto-legenda: Porte de fuzil agora é crime hediondo

Militares patrulham ruas de Niterói; lei aprovada na Câmara torna crime hediondo a posse ou porte de fuzis e outras armas de uso restrito das Forças Armadas e demais órgãos de segurança. (METRÓPOLE / PÁG. A16)

Celso Ming

Temer promete, promete, mas entrega pouco. (ECONOMIA / PÁG. B2)

Maduro bloqueia obras da Odebrecht

Onze obras da Odebrecht na Venezuela estão isoladas pela polícia por estarem paradas. A empresa diz que a conclusão depende de pagamento do governo. (INTERNACIONAL / PÁG. A12)

Notas & Informações

Dívida pública é o grande risco

A dívida pública será um pesadelo para o próximo governo se o Congresso travar a reforma da Previdência e falhar em outras medidas para reconstruir as contas. (PÁG. A3)

A afronta ao teto salarial

Figura jurídica do “abate-teto” é fundamental para enquadrar castas que não aceitam controle. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Aliados de Temer se tornam ameaça a nova meta fiscal

Presidente depende do Congresso para mais de R$ 30 bi de expansão de receitas e corte de gastos propostos em pacote

Michel Temer terá dificuldades para aprovar no Congresso o aumento do rombo nos Orçamentos de 2017 e 2018 para R$ 159 bilhões.

Há insatisfação de aliados na Comissão Mista de Orçamento — onde tramitará a proposta de revisão da meta fiscal — devido a vetos do presidente à Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2018.
“Um governo arrogante e prepotente ê sinônimo de governo fracassado”, afirmou ã Folha o presidente da comissão, senador Dário Berger (PMDB-SC), que ê do mesmo partido de Temer.

Foram vetados na LDO, entre outros pontos, trechos que incluíam como prioridades o Plano Nacional de Educação e a conclusão de obras. Temer depende do Congresso para conseguir expandir o déficit. O presidente só tem autonomia para assegurar 8% dos R$ 33,6 bilhões em aumento de receitas e corte de gastos propostos para o cumprimento das novas metas. (Mercado A13)

Equipe econômica decide privatizar Congonhas para reforçar o caixa e descontenta pasta de aviação. Pág. Al9)


Caixa reduz teto do financiamento de imóveis novos

A Caixa anunciou que reduzirá o percentual que pode ser financiado na compra de um imóvel novo, de 90% para 80% do valor da propriedade. Dessa forma, será exigida do comprador uma entrada mínima de 20%.

O banco detêm quase 70% do empréstimo imobiliário do país e diz que a maioria não será afetada. (Mercado A20)

 

Igreja evangélica quer distritão para ampliar bancada

Igrejas evangélicas ambicionam expandir sua bancada na Câmara em 2018 com a ajuda do distritão. Nesse modelo, em discussão na reforma política, deputados mais votados se elegem independentemente do partido.

A aposta ê que celebridades do segmento e pastores levariam vantagem por serem conhecidos. (Poder A4)

 

SP prepara novas privatizações de estradas no litoral

A gestão Alckmin (PSDB) estuda a concessão à iniciativa privada de rodovias nos litorais norte e sul de SP, como Mogi-Bertioga e Manuel Hipólito Rego, além de trechos não concedidos da Padre Manoel da Nóbrega, em um total de 300 km. As consultas públicas devem ocorrer ainda em 2017. (Cotidiano BI)

 

Ex-senador da Bolívia asilado no Brasil morre após acidente de avião (Mundo All)


Editoriais

“Pacote incerto”, a respeito de medidas para reduzir o rombo orçamentário, e “PMs em perigo”, sobre escalada de assassinatos de policiais no Rio. (Opinião A@)

 

————————————————————————————

Comente: